Projetos em Andamento


Efeitos da crioterapia na regeneração muscular após lesão no músculo quadríceps femoral induzida por salto : ensaio clínico randomizado

Descrição: As lesões musculares apresentam-se na prática clínica como contusões e distensões musculares, e é comum ocorrerem na prática de esportes nas desordens ocupacionais e em vítimas de acidentes ou de violência. Essa relação multicausal torna difícil estabelecer sua prevalência. A crioterapia é a aplicação terapêutica de gelo ou frio, sendo um recurso barato e acessível aos profissionais de saúde e pacientes, amplamente usado no tratamento e na reabilitação das lesões musculares esqueléticas agudas e crônicas. Apesar do seu uso e recomendação clínica, há controvérsia e pouco respaldo científico sobre a real eficácia da crioterapia durante a regeneração muscular. Recentes revisões sistemáticas concluíram que a crioterapia reduz discretamente o processo inflamatório e a dor muscular tardia em humanos após dano muscular induzido por exercício excêntrico. Apesar disso, há grande controvérsia sobre o uso da crioterapia na modulação do processo de regeneração muscular em humanos. O presente estudo tem como avaliar os efeitos da crioterapia intermitente, utilizando protocolo recomendado na prática clínica, no perfil cinético das citocinas pró e anti-inflamatórias, percepção da dor, força, recrutamento e função muscular durante o processo de regeneração muscular após dano induzido no musculo quadríceps femoral em indivíduos saudáveis. O projeto possui potencial de inovação de processos ou serviços relacionados à avaliação da efetividade de recursos terapêuticos e trará importante contribuição cientifica sobre os efeitos da crioterapia no tratamento do músculo esquelético lesado a suas implicações para a reabilitação musculoesquelética
Financiamento: CNPq - 401453/2013-8 (DECIT)

Prototipagem de um estimulador neuromuscular e transferência de tecnologia para uso durante a internação hospitalar no contexto do Sistema Único de Saúde do Distrito Federal

Projeto que envolve patente e desenvolvimento e transferência de tecnologia.
Financiamento: FAPDF (PPSUS 2014)


Crioterapia: agente terapêutico ou prejudicial no processo de regeneração muscular?

Descrição: Há controvérsia na literatura cientifica sobre o uso da crioterapia durante a regeneração muscular. Alguns estudos indicam que a crioterapia reduz a lesão por hipóxia secundária, o processo inflamatório e minimiza a área de lesão secundária após lesão muscular. Por outro lado, alguns outros autores demostraram a crioterapia reduz a resposta inflamatória e pode retardar a regeneração do músculo. Esses estudos caracterizam os efeitos imediatos da crioterapia intermitente (24 horas após lesão) ou contínua (6 horas consecutivas). Porém, ainda não está descrito os efeitos do tratamento por crioterapia intermitente por longos períodos após a lesão muscular e seus possíveis efeitos sobre a sua regeneração, como recomendado na prática clínica. Assim, o objetivo deste trabalho será avaliar os efeitos crioterapia intermitente (três sessões de 30 min a cada 2 horas), com protocolo de intervenção similar aos usados na reabilitação em humanos, sobre a morfologia das fibras musculares, expressão de genes e proteínas associados à regeneração no músculo tibial anterior (TA) de ratos. Serão utilizados 60 ratos adultos (Wistar), divididos em dez grupos de 6 animais cada: controle (sem intervenção); 72 horas, 7 e 14 dias (lesão; lesão+placebo - bolsa com areia de peso similar à bolsa de gelo; lesão+crio - três sessões de crioterapia, bolsa com gelo triturado). A lesão muscular será induzida por criolesão no ventre do TA direito por meio de uma barra metálica previamente congelada em nitrogênio líquido. Em seguida, será realizada 3 sessões de crioterapia (30 min a cada 2 horas) durante as primeras 72 horas após a lesão. Acredita-se que o resultado desse projeto propiciará importante contribuição para a compreensão dos mecanismos celulares e moleculares associados à utilização da crioterapia imediatamente após a lesão muscular. Diversos aspectos que serão estudados são ainda inéditos na literatura.
Financiamento: CNPq 473702/2013-4 (Edital Universal)


Torque evocado, índice de desconforto sensorial e arquitetura muscular após diferentes protocolos de estimulação elétrica neuromuscular com correntes de média e baixa frequência

Descrição: A estimulação elétrica neuromuscular é uma ferramenta para aumentar a força muscular, massa e desempenho muscular. Resultados promissores têm sido apresentados com relação as correntes de média frequência (como a Australiana e Russa) no que diz respeito ao conforto e geração de força muscular, porém poucos estudos controlados foram realizados no intuito de comparar esses resultados com outros parâmetros físicos/correntes utilizados na prática fisioterapêutica. O objetivo central desse projeto será avaliar os efeitos isolados diferentes parâmetros físicos de correntes, comparando as de média frequência com correntes de baixa frequência no nível de desconforto e no torque evocado em diversas articulações em indivíduos sadios e com desuso muscular. Serão avaliados o torque isométrico e isocinético, arquitetura muscular por meio de ultra som (espessura muscular, ângulo de penação e echo intensity) e as vias de síntese e de degradação de mioproteínas por meio de biopsias musculares (PCR em tempo real e proteômica diferencial). Os resultados desse projeto propiciarão grande contribuição à prática clínica da Fisioterapia, especialmente quanto à escolha de parâmetros mais adequados para o conforto sensorial e fortalecimento muscular.


Matriz extracelular e o sistema musculoesquelético: adaptações ao treinamento resistido e envelhecimento biológico

Descrição: A matriz extracelular (MEC) é composta por um arranjo complexo de macromoléculas tais como colágenos, glicoproteínas, glicosaminoglicanos e proteoglicanos, que fornece suporte, volume, tamanho e a força para muitos tecidos. O declínio gradual dos sistemas orgânicos durante o envelhecimento biológico inclui alterações na integridade estrutural, bioquímica, celular, molecular e funcional da MEC do sistema musculoesquelético. Por outro lado, o estímulo mecânico promovido pelo treinamento resistido pode minimizar ou prevenir essas alterações decorrentes da cronologia tecidual. Assim, os objetivos gerais do projeto serão estudar as propriedades da MEC em músculos, ossos e tendões e suas adaptações durante o envelhecimento biológico, bem como o efeito do treinamento resistido sobre as propriedades celulares, moleculares, estruturais e funcionais do sistema musculoesquelético. Serão utilizados ratos Wistar de três (jovens, n = 30) e 20 meses (senis, n = 30) e divididos em quatro grupos: ratos jovens sedentários (J), ratos jovens treinados (JT), ratos senis sedentários (SS), ratos treinados senis (TS). O treinamento resistido consiste em 4 escaladas, com 65%, 85%, 90% e 100% da sua capacidade de carga máxima anterior, determinado na sessão anterior, durante 12 semanas. Acreditamos que o desenvolvimento do projeto de pesquisa trará importante contribuição cientifica e tecnológica, no intuito de aumentar a quantidade e qualidade das técnicas de avaliação da MEC muscular, óssea e tendínea. Pretende-se ainda avançar no estado da arte e na efetividade da metodologia proposta sobre os efeitos do treinamento resistido, como estratégia não farmacológica, para beneficiar o remodelamento do sistema musculoesquelético durante o envelhecimento biológico.

Financiamento: FAPDF (PP 2014)


Propriedades Morfológicas do tendão calcãneo de ratos após a administração de EAA e treinamento de salto

Descrição: O uso dos esteroides anabólicos androgênicos (EAA) a longo prazo traz um alto risco de doenças somáticas e efeitos psicológicos adversos. A combinação dos EAA com o exercício pode induzir alterações patológicas em tendões bem como mudanças da morfologia da junção músculo-tendínea. Porém, pouco se sabe sobre os efeitos da interrupção do uso dos esteroides sobre os tendões. Assim, esse trabalho deve como principal objetivo analisar os efeitos da interrupção do uso do decanoato de nandrolona sobre o tendão calcâneo (região proximal e distal) de ratos, imediatamente, 3 e 6 semanas após o uso; tendo em vista que também serão submetidos aos efeitos do destreinamento. Ratos Wistar serão divididos em quatro grupos experimentais (n = 5/grupo): sedentário (S), treinados (T), tratados com EAA (Deca-Durabolin 5 mg/kg de peso corporal, duas vezes por semana) (EAA) e animais tratados com EAA e treinados (EAAT). Os animais dos grupos exercitados serão submetidos a um programa de exercício (saltos) em um tubo de plástico contendo água. Após uma semana de adaptação os animais serão submetidos a um protocolo de treinamento que consistirá de 2-4 séries, 5-10 repetições, 30 segundos de descanso por 7 semanas (5-d/semana) e sobrecarga ajustada de acordo com o peso do animal. Após a última sessão os animais do grupo imediatamente após serão eutanasiados. Nesse momento o treinamento e adimistração de EAA será interrompido nos grupos 3 e 6 semanas. Os animais desses 2 últimos grupos serão eutanasiados após esses períodos respectivos. As amostras serão fixadas em paraformaldeido 4% e após serão armazenadas em álcool 70%. Os tendões serão emblocados em historesina e cortes 2 μm serão obtidos para análises morfológicas. Os cortes serão corados com H&E para verificar a morfologia básica, com alizarina para análise do cálcio e safranina O para analisar o conteúdo de proteoglicanos. Cada tendão será observado levando em consideração a camada peritendínea e a área interna.


Efeito do Treinamento de Força sobre a composição corporal, adiposidade, remodelamento cardíaco e perfil inflamatório de ratos alimentados com dieta hiperlipídica

Descrição: Em breve.


Dores Crônicas e determinantes biopsicossociais e culturais: proposta de avaliação desta população no Sistema Único de Saúde do Distrito Federal

Descrição: Este projeto visa identificar fatores protetivos e de risco à dor crônica, por determinação de aspectos biopsicossociais, que possibilitem um planejamento de ações efetivas de cuidados nos pacientes. Tem por objetivo avaliar e caracterizar o paciente com dor crônica nos aspectos biopsicossociais e culturais e correlacionar estas variáveis, a fim de identificar possíveis fatores de risco e proteção para a vivência da dor. Serão realizados diversas análises: entrevista com dados gerais e clínicos, perfil sociodemográficos, Inventário Breve de Dor, Escala Visual Analógica de Dor, Algometria, Classificação Econômica Brasil, análise sanguínea para TNF-α, IL-1,IL-6, IL-8, IL-23, COMP/TSP-5 e cortisol por teste imunoenzimático e MMPs por zimografia, Questionário Roland Morris de Incapacidade, Questionário de Aceitação da Dor Crônica, Escala Hospitalar de Ansiedade e depressão, Questionário Breve de Qualidade de Vida da Organização Mundial da Saúde, Escala de Autoeficácia para Dor Crônica, Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas, Questionário de Produtividade e Capacidade Diminuída no trabalho, Protocolo da Lista de Identificação de Papéis Ocupacionais. Esses fatores serão importantes para direcionar as avaliações e tratamentos dos pacientes com dor crônica, auxiliando o sistema público de saúde e diminuindo os gastos públicos.